Canelada

Home | « Todos os posts de Caneladas Históricas

SELEÇÕES IMORTAIS DAS COPAS – O Paraguai de 98

por
9/06/14

Fonte: Arquivo dos Mundiais

José Luis Chilavert, Francisco Arce, Celso Ayala, Carlos Gamarra e Pedro Sarabia, Roberto Acuña, Jorge Luis Campos, Julio César Enciso e Carlos Paredes, Miguel Ángel Benítez e José Cardozo. Técnico: Paulo César Carpegiani.

Com essa formação, a seleção do Paraguai de 1998 iniciou aquela que seria uma de suas mais difíceis batalhas em campo, levando-se em conta os 12 anos de outras batalhas para levar os paraguaios para a Copa. Após ter passado por Bulgária (empate), Espanha (empate) e Nigéria (3×1), eles foram para as oitavas em segundo do grupo.

Dona de um futebol clássico, a seleção paraguaia se destacava pela sua defesa e o seu modo compacto de atuar, ditado pelo brasileiro, Paulo César Carpegiani. Um dos seus zagueiros deixou uma marca histórica, pois caracterizou-se por roubar bolas sem fazer falta. Ele é Gamarra, que só foi ter uma falta marcada em uma roubada de bola, justamente na partida contra a França. Vale ressaltar que a vantagem paraguaia ganhava uma esperança maior, porque o até então tido como melhor jogador francês, Zidane, foi expulso na derradeira partida da fase classificatória e não poderia atuar, assim, a mobilização da torcida paraguaia pelo mundo foi grande. Era o “a mais” que eles precisavam em suas esperanças.

A Grande Defesa Paraguaia
a batalha entre o ataque francês e a grande zaga paraguaia

A seleção estava confiante e isso podia ser visto no rosto dos atletas, em especial do goleiro artilheiro Chilavert, que como capitão comandava seu exército. O empate sem gols persistiu até o fim e todos seguiam com o mantra “sí, se puede!!”, porque viria a prorrogação e com ela, uma novidade: a morte súbita. O primeiro marcar um gol no período de prorrogação era considerado vencedor. E infelizmente ela veio no segundo tempo da prorrogação, com o gol do francês Laurent Blanc.

FAMOSOS DO FUTEBOL PARAGUAIO

Arce, Arsenio Erico, Aurelio González, Caniza, Celso Ayala, Chilavert, Enciso, Gamarra, Gavilán, Haedo Valdez, José Saturnino Cardozo, Juan Bautista Villalba, Julio César Cáceres, Lucas Barrios, Pedro Sarabia, Oscar Cardozo, Saturnino Arrua, Salvador Cabañas, Roberto Fernández, Raimundo Aguilera, Romerito, Roque Santa Cruz, Roberto Acuña, Édgar Barreto, Cristian Riveros.

Seleção Paraguaia

CONCLUSÃO

A seleção paraguaia passou para as oitavas de final da Copa do Mundo somente em três ocasiões: México em 1986, França em 1998 e Japão-Coréia do Sul em 2002, tendo ido para as quartas de final na Alemanha em 2010. Mas foi essa seleção que em 1998 deixou marcas profundas de respeito, não só pelo modo caracteristico de jogar, como também pelo alto nível técnico demonstrado, em especial do seu zagueiro Gamarra que somaram-se à grande motivação, foco, compactação e estratégia oriundas de seu técnico, Paulo César Carpegiani. Foi o resgate do sentimento verdadeiro de torcedor, após 12 anos na espera.

Dupla vencedora

Infelizmente o Paraguai não irá participar nesta edição de 2014, porém é esperado que os paraguaios torçam pelo Brasil, como torceram por sua seleção em outras edições, agregando assim sua força e alegria ao futebol brasileiro.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

1 comentário

  1. Seleções imortais das copas - Croácia de 98 | CaneladasHistóricas | Canelada disse:

    […] disso, três seleções apareceram como surpresa e encantaram por razões diversas. Uma foi o Paraguai de Gamarra e Chilavert, a outra o Chile de Salas e Zamorano e a terceira foi a Croácia de Davor […]

Gostou? Não? Comenta aí: