Canelada

Home | « Todos os posts de Caneladas Táticas

Análise Tática: Flamengo 0x1 Vasco – A chegada de Jorginho e a queda de Cristóvão.

por
20/08/15

Guerra. Essa foi a palavra mais falada antes do jogo. E foi levada pra dentro do campo pelos jogadores.

Com as duas equipes dispostas no 4-2-3-1, o jogo começou muito nervoso e brigado, foram quinze minutos de um jogo completamente físico, com muitas divididas e muitos duelos. O futebol demorou a aparecer.

As diferenças foram aparecendo as poucos, muitos esperam que os camisas 10, meias centralizados, Nenê e Éderson, fossem os responsáveis pela armação do jogo de suas equipes, mas isso não acontece. Quem chamou essa responsabilidade foram os extremos direitos de cada time. Julio dos Santos e Emerson Sheik eram as verdadeiras referências na armação.

Jorginho, estreante da noite, foi esperto ao tentar resgatar um conjunto que tinha sido ignorado por Celso Roth. A estrutura utilizada pelo tetracampeão simulou o time de Doriva, campeão estadual. Julio dos Santos é muito lento, por isso sua escalação centralizada é desaconselhável, como extremo, ele é capaz de confundir a marcação adversária e abrir o lado direito para a velocidade de Mádson. Julio, ocupa o espaço que seria de Serginho, que infiltra pelo meio arrastando a marcação. Observe no frame abaixo:

 

Já Cristóvão, não teve sua variante preferida nos últimos jogos, que foi o recuo de Alan Patrick para armar o jogo de trás. Émerson Sheik é quem pensava o jogo do Flamengo, se movimentando por todo o campo, sempre partindo da direita. O que Cristovão talvez não contasse, era o nível de aplicação que os jogadores do Vasco entrariam e com a apatia e noite infeliz de alguns de seus comandados. Canteros não apareceu no jogo, Guerrero não venceu seus duelos e quando teve oportunidade, falhou. Éderson também não foi bem. Éverton também esteve abaixo do que é normal. Mérito do Vasco ?? Talvez. Cristóvão só teve no nível normal Sheik e Jorge.

A grande diferença entre Éderson e Nenê foi que o segundo fez questão de se entregar ao jogo. Nenê esteve longe de brilhar pela técnica, mas foi muito participativo. Recuava para dar opção de passe e iniciar o jogo, se apresentava na área na zona de finalização e jogou muito sem bola. Na fase defensiva, o Vasco formava duas linhas de quatro com Nenê e Riascos a frente delas, porém quando o Flamengo entrava na intermediaria vascaína, Nenê buscava sempre estar atrás da linha da bola, fazendo volume ao sistema defensivo. Éderson se portava mais como um segundo atacante, atrás de Guerrero, mas sempre presente na área. Participou pouco da armação da equipe.

Repare no frame abaixo, como Nenê voltava sem bola e como Emerson Sheik era quem decidia por qual jogada o Flamengo optaria para alcançar o gol de Martin Silva

As movimentações do jogo já sugeriam uma leve superioridade da estratégia vascaína. E foram essas movimentações que desenharam o gol Vascaíno. Julio foi ajudar na saída de bola e achou em um belo passe longo, Riascos se desvencilhando da marcação de Wallace. Mádson e Jorge Henrique chegando com velocidade, e uma bela finalização deixou o Vasco em vantagem. Repare os frames na sequência.

A expulsão de Wallace deu o controle do jogo definitivamente para o Vasco, que soube bem utilizar da experiencia para aguardar o fim do jogo. Expulsão ocasionada por um passe errado do garoto Jajá que havia acabado de entrar no turbilhão que estava o jogo. Foi inegavelmente um equívoco. Obviamente, poderia acontecer do menino melhorar a equipe e o resultado do jogo, mas era improvável.

Outra coisa que não muda no Flamengo, é a fragilidade do sistema defensivo. O Vasco finalizou no primeiro tempo, pelo menos quatro vezes dentro da área do Flamengo. Até um lateral se tornou tormento para defesa do Flamengo. Julio dos Santos dominou no peito e finalizou sem ser incomodado. E assim como no lance no gol, bolas por baixo também colocam os Rubro Negros em apuros. Repare na imagem abaixo

Projetando a sequência, Jorginho deve manter essa base e alterar a estrutura aos poucos. Julio dos Santos oferece uma posse que o Vasco carece, principalmente por ter como volantes Guinazu e Serginho. Nenê e Jorge Henrique acrescentam qualidade e experiência a equipe. Sem que isso afete o vigor da equipe, por serem móveis e participativos. Jorginho e Zinho, ao que tudo indica, trazem um clima mais leve para o vestiário vascaíno. Como atletas que foram, sabem bem o prejuízo que um grupo rachado pode trazer. E o renascimento do Vasco no Brasileiro, passa muito pela cabeça do grupo, para que possam assimilar seu modelo de jogo rapidamente.

Já no Flamengo, com o anuncio da saída de Cristóvão e a chegada de Oswaldo, a perspectiva é de melhora. Mas o desafio para o novo e competente treinador, não é fácil como se imagina. Ter que recobrar o desempenho ofensivo de outras partidas, com time propositor, como Cristóvão conseguiu, e trazer uma consistência defensiva que o antigo treinador, nunca proporcionou a equipe. Talvez variar essa marcação individual com encaixes longos, para uma marcação zonal, seja um bom caminho. Oswaldo sabe disso, costuma trabalhar assim.

O confronto está aberto. Tudo pode acontecer. Promessa de mais uma Guerra, e por enquanto, ponto.

Um abraço.

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

3 comentários

  1. Fábio disse:

    Estava procurando um site que não fosse tendencioso ao ponto de falar asneiras denegrindo a vitoria de um e justificando a derrota de outro. Mas vejo que aqui a gente pode ler sem medo de ser “chacoteado”, gostei muito da analise, bem feita. Li outra matéria sobre espanholização do futebol brasileiro (2013)e gostei muito também, uma tristeza terrível, mas pelo jeito a Globo que manda no Brasil o maximo que posso fazer é esperar que ela veja que fortalecendo dois times vai ficar um saco tipo a formula 1 que a gente ja sabe quem vai ganhar sem graça o legal é ganhar de alguém que tem a mesma ou é superior a vc, num é verdade? principio da superação da competição no esporte. A globo tá transformando o Futebol brasileiro em um simples forma de fazer dinheiro e pra gente é mais que isso…

    [Reply]

    Witor Ruy Reply:

    @Fábio, Obrigado, Fabio.

    É bem isso mesmo, mas ainda bem que esta sendo visto e temos fortes correntes contra isso. Só nos resta aguardar…
    Um abraço.

    [Reply]

  2. Witor Ruy disse:

    Obrigado, Fabio.

    É bem isso mesmo, mas ainda bem que esta sendo visto e temos fortes correntes contra isso. Só nos resta aguardar…
    Um abraço.

    [Reply]

Gostou? Não? Comenta aí: