Canelada

Home | « Todos os posts de Caneladas Táticas

Fúria Mecânica x Tradição da Laranja

por
10/07/10

O dia chegou. Um jogo. 90 minutos. Simples assim. Para se tornar referencia para os bilhões de apaixonados pelo maior esporte do mundo, duas seleções vão se enfrentar e ambas tem certeza que o esse jogo será decidido nos detalhes.

Não será uma final qualquer. Espanha e Holanda nunca ganharam uma Copa. Desde 1930 essas seleções são referencias mundiais de futebol competitivo. Mas sempre na hora “H” não conseguiam reforçar essa fama.

Na Copa do Mundo da África do Sul essas duas seleções chegaram como candidatas ao título. As duas seleções estão renovadas e há quem diga que nunca tiveram tão preparadas para levantar o caneco.

Do lado da Holanda eu não concordo. A Seleção de 74 e de 78 na minha visão era bem melhor que essa. Mas seria injusto comparar a seleção comandada por Sneijder com a de Cruyff.

A Holanda de hoje está renovada, mas traz consigo a marca de sua história e tradição justamente no seu esquema tático. Não existe futebol holandês sem pontas. Por isso Robben e Kuyt estão lá bem abertos aterrorizando as defesas adversárias. Também não existe futebol holandês sem um meia pensador e habilidoso. Lá está Sneijder comandando o meio-campo. Para ser realmente uma boa seleção holandesa é preciso ter um finalizador alto e competente lá na frente. Dalhe Van Persie neles.  E por ultimo, mas não menos importante, está o excelente goleiro Stekelenburg mantendo a tradição holandesa de excelentes goleiros.

Ah…quase esqueci. Seleção holandesa que se preze tem que ter um “Van”. Nessa tem três (piada horrível)

Tá ai a Tradição da Laranja.

A Holanda vem com um 4-2-3-1 com Robben pela direita podendo verticalizar a jogada para a entrada de Van Persie, Kuyt e Sneijder. Esse trio sempre está junto. Não importa se pela direita ou pela esquerda. AS jogadas são sempre muito parecidas, mas difícil de ser marcada. Van Bommel entrega a bola para Sneijder que tenta acionar Robben ou uma ligação direta com Van Persie.
Na maioria das vezes a bola é de Robben que em muitos casos corta para o meio e solta pra alguém ou bate para o gol. Quando a bola vai para Kuyt é sempre um levantamento na área.

O ponto fraco dessa seleção é que anulando Sneijder e Robben a equipe para. Não há mais ninguém com criatividade suficiente para fazer a bola chegar com qualidade no ataque.

A Espanha é um caso a parte. Eu não me lembro de ter visto uma seleção espanhola jogar tanta bola assim. Há uma infinidade de variações de jogadas criada pelos excelentes Xabi Alonso, Xabi, Iniesta, Villa e Torres. Antigamente as seleções espanholas eram marcadas pela raça. Essa é mais toque de bola e rotatividade dos homens do meio e da frente.

Essa variação de jogadas e posições é tanta que posso dizer que a Espanha é uma mini Laranja Mecânica. Xabi Alonso, Xabi, Iniesta e Villa estão em todos os lugares do ataque. Mais parado na frente somente o finalizador Torres. Há também o apoio do lateral Sergio Ramos que sempre é coberto pelo cão de caça Busquets.

O toque de bola da Espanha é outra característica que lembra a Laranja de 74. Assim que um jogador pega na bola outros dois sempre estão livres para receber. Sempre com um ou dois toques a seleção espanhola chega com possibilidades de finalizar ao gol adversário.

Um 4-4-2 Losango com Villa aberto pela esquerda e Iniesta quase de terceiro atacante.

Aqui está a “ Fúria Mecânica”.

Eu gostaria de ver uma final entre Espanha e Alemanha que pra mim foram as duas melhores seleções da Copa. Mas não há como negar que o fato de nenhuma das duas seleções ainda não ter alcançado o topo do futebol mundial faz da final de amanhã ser algo que vai entrar para história.

Para nós brasileiros nos resta sentar no sofá e aproveitar esse que promete ser um jogo magnífico. Bom jogo a todos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

1 comentário

  1. Fernando Cury disse:

    Cara… sem Brasil e depois Uruguai, eu torci por um novo campeão. Espanha ou Holanda campeãs eu não acharei nada ruim. Vai ser bem bacana, pode crer. Mas vou torcer um pouquinho mais pela Espanha, pois apostei no bolão… eheheh.

    Ficou bem bacana a análise, e não cravo favorito pra final dessa Copa do Mundo.

    [Reply]

Gostou? Não? Comenta aí: