Canelada

Home | « Todos os posts da Copa do Mundo 2014

MIROSLAV KLOSE – Der Größte unter den Großen

por
9/07/14

Klose pegou a bola perto da marca do pênalti, deu um pequeno corte para a direita e chutou! Júlio César defendeu como pôde, mas a Brazuca foi esparramada para frente e o camisa 11 da seleção alemã pegou o rebote, deu um tapinha na bola, tirou qualquer possibilidade do arqueiro brasileiro e deu um tapa, de chapa e a bola estufou as redes do Brasil. Era o segundo da Alemanha e o décimo sexto de Klose em Copas do Mundo. Um feito e tanto!

Klose: o maior entre os maiores artilheiros!

Um fato histórico ontem no massacre alemão na seleção brasileira; Klose se transformou no maior artilheiro da história das Copas. Isso não é um feito qualquer e o alemão, que está longe de ser um craque, agora é imortalizado; podem fazer a estátua, porque aos 36 anos, em forma e comendo a grama ele mereceu. Passou quase despercebido ante a humilhação que a seleção brasileira passou, Felipão tratou de cumprimentá-lo e fez bem porque o 11 merece.

Klose fez um favor ao futebol; Ronaldo faz tanta força para destruir a bela imagem do artilheiro, de um dos maiores noves da história do futebol mundial, que eu comemorei o gol do camisa 11. Não posso negar a minha felicidade em ver um atleta esforçado, para o qual os holofotes raramente apontam, conseguir realizar tal feito.

O reinado do brasileiro durou duas Copas, alcançou a marca jogando acima do peso, descompromissado com o time, com a Copa, com a seleção. Chegou com mais de 100 kg na Alemanha e das três Copas que jogou ficou marcado negativamente em duas; um saldo que ele faz questão de piorar a cada aparição, a cada entrevista.

Klose não é craque, está muito longe disso é bem verdade. Ele é um matador! Um 11 com espírito de 9. Tem um senso de pequena área no estilo Romário (obviamente sem a mesma qualidade) e tem um forte jogo aéreo como o Jardel. Ele é uma espécie de Jon Jones, não é o melhor cabeceador, não é o mais habilidoso, não é o mais mortal, o mais veloz. Todavia, ele consegue juntar tudo e ser ótimo em ser Klose.

Ele é o que o Alex ou o Juninho Pernambucano poderiam ser na seleção brasileira, mas quando se fala na canarinha a seriedade e o respeito que se dá a profissionais exemplares, sérios e que vestem a camisa do time nacional por mérito e não por conchavos ou empresários. Não que os alemães sejam inocentes ou puros, mas com eles a conta é inversa tendo em vista que um ou outro perdido está nesta situação, enquanto no Brasil o que mais se vê é jogador fabricado para jogar um torneio e cavar lugar na mais vitoriosa seleção do mundo.

Miroslav Klose, meus parabéns! Que o décimo sétimo seja para garantir o tetra!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Gostou? Não? Comenta aí: