Canelada

Home | « Todos os posts do Cruzeiro

Cruzeiro x Caldense

por
2/03/17

Esse é o primeiro post de jogo daqui. Hoje no Gigante tem Cruzeiro x Caldense pelo Mineiro 2017. Antes de falar do jogo em si (até porque há pouco a ser dito antes da partida), algumas verdades.

Campeonato Mineiro

O campeonato organizado pela Federação Mineira é uma piada de péssimo gosto. Isso é assim desde que o Atleticano Schetino foi trocado pelo atleticano descontrolado Netinho. Aliás, isso é assim desde sempre, desde o primeiro atleticano na Federação. Basta dizer que o Cruzeiro tem dois títulos mineiros vencidos em campo não contabilizados pela FMF, o de 1926 da AMET e o de 2002, no Supercampeonato.

Basta dizer que no confronto entre os rivais, cada um tem a sua contabilidade de vitórias (o time zebrado conta jogos de aspirantes, de segundo quadro e com menos de 90 minutos). Se a FMF fosse minimamente séria, seria de se esperar que ela acertasse as estatísticas entre os seus principais filiados, e que ela não contasse os títulos estaduais de forma clubista.

Prometo para adiante essa história tintim por tintim, mas deixo a dica para o colega pesquisar sobre quantos jogos o América fez para ser campeão em 1925, ano do tal decacampeonato, no campeonato da Cidade. Num mundo ideal, campeonatos estaduais da forma como são hoje não existiriam. Servem para dar projeção e poder para seres patéticos e desprezíveis como os presidentes de Federação Estadual.

Os estaduais já tiveram a sua importância em um tempo de futebol incipiente, mas hoje se tornaram um fardo para as maiores equipes e um cabresto para as menores. Só há um privilegiado com o modo de organização do futebol brasileiro: O cartola. Adiante!

Caldense

Dito isso, o justo a se dizer, nesse espaço não iremos ignorar o campeonato mineiro. Mas também não iremos dar-lhe mais peso do que merece. Queremos sempre que o Cruzeiro vença. Mas ordenando as competições da temporada pela importância: Brasileiro -> Sulamericana – > Copa do Brasil -> mineiro. A tal Primeira Liga é uma ideia de jerico daquelas, e é amistoso, isso não é campeonato.

Dentre as equipes do interior a Caldense é um time que poderia se dar muito melhor em outro calendário. Poderia figurar nas divisões de acesso regionalizadas, eventualmente beliscando um lugarzinho na segunda divisão por ter tradição e simpatia de uma região populosa o suficiente e de boa renda. A Veterana vem batendo na trave para conseguir o seu calendário anual. Em 2015 perdeu a vaga na Série C nos pênaltis para o Ypiranga de Erechim. Em 2016, novamente nos pênaltis, caiu na segunda fase para o Anápolis.  Nesse ano, disputará a quarta divisão pelo terceiro ano seguido e luta, no campeonato mineiro, por uma vaga na Série D de 2018 em caso de nova falha no acesso.

Se não fosse o bandeirinha da FMF…

O jogo

Então chegamos ao ponto, Cruzeiro x Caldense pelo Mineiro 2017. O que esperamos do jogo… Bem, espero a vitória, tipo por 2 a 0. Não mais do que isso. Se for, ficarei surpreso. É um tipo de jogo pouco atrativo. Um time vem para evitar vexame o outro quer os pontos. Vamos ver o encaixe desse novo time do Mano, agora quase que definitivo já, com a entrada do Thiago Neves. Puxei a relação de jogadores da Caldense e lembrei-me do Cristiano um centralva de bom porte, meio galego, que foi vice campeão em 2015 e foi até parar no América. Uma pena para o jogo que ele está machucado. Uma atração a menos. O Neguete, arqueiro rival está em Poços há um bom tempo, assim como o Éwerthon Maradona.

Nos bons tempos de 2015 (para a Caldense do Condé, só), o Maradona era reserva, e se me lembro bem, a questão física e a idade já estavam pesando. O fato de ele ser cotado para ser titular pode indicar que o elenco da Veterana está com pouca qualidade na armação, dois anos depois. Mas se der de graça uma faltinha na meia-lua, o cara ainda faz uma gracinha. Lembro do Zambi também, muito vigor e um cara meio entojado. Luiz Eduardo é matador, um 9 esperto que entra e sai da área, também presente na campanha de 2015. Por essas questões de calendário, o sujeito está em sua quarta passagem por Poços. Sempre se destaca no mineiro e pega uma 2ª ou 3ª divisão no segundo semestre.

Agora qual não é a minha surpresa quando pego o banco da Caldense e vejo lá: Diego Clementino. Um dos apelidados pelo Albertinho de Serelepe Azul. Para a nossa turma de Mineirão da época: Diego “Vaca Louca”. Ele é o Élber dos anos 2000. Ou o Da Silva dos anos 90. O Cruzeiro sempre arruma esses caras, corredores, com utilidade variável de acordo com a fase e que geralmente acabam a carreira descendo a ladeira. Torço para ver o Diego em campo hoje. Nostalgia combina com fim de carnaval.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Gostou? Não? Comenta aí: