Canelada

Home | « Todos os posts do Cruzeiro

América 1×1 Cruzeiro e mais OU sobre tudo que aconteceu no feriado

por
16/04/17

Foi mal aí…

Primeiramente peço desculpas à legião de fãs que devoram esses textinhos que escrevo por aqui. Foi mal o furo. Justamente no jogo com o melhor resultado do ano, estive impossibilitado de deixar o relato com o que vi. Mas, recuperando os detalhes da noite de quinta-feira santa, vi um time maduro e com uma consciência de equipe precocemente desenvolvida.

Antes do jogo contra o São Paulo, esse time mesmo que todo ano nos leva seis pontos no Brasileiro, tinha rascunhado umas linhas no pós-jogo do Cruzeiro e Demo. Antevia no jogo a necessidade de ser agressivo e marcar tantas vezes quanto possível. Isso levando em conta a suposta fragilidade defensiva do adversário. O resultado foi melhor do que qualquer encomenda, mas para obtê-lo o Mano postou o time de forma diametralmente oposta à minha sugestão. Ele optou por bloquear o adversário e negar os espaços.

Com uma equipe sobriamente postada, que soube sofrer e dominar o adversário defensivamente, mesmo tendo posse de bola inferior a 40%, os gols vieram de bolas paradas bem executadas. Não sei o que levou o Mano a ir por esse caminho. Mas saber ganhar um jogo de diferentes maneiras é um recurso muito útil para qualquer equipe de futebol.  Um destaque especial para os bravos cruzeirenses que aproveitaram o feriado e se mandaram pra terra da garoa buscar os três pontos. Saibam que pela TV vocês foram ouvidos e vistos, lotando o espaço destinado aos visitantes e calando a maioria tricolor no estádio.

América e Cruzeiro

Avançando pelo restante do feriado tivemos a inglória tarefa de enfrentar o Coelho bem no domingo de Páscoa. Piadinha infame à parte, a equipe que alinhou para o desafio era a repetição do time de quinta-feira, exceto pelo centroavante – Sóbis no lugar do Ábila. Rafael; Mayke, Manoel, Léo e Barbosa; Hudson e Cabral; Rafinha, Neves e Arrasca; Sóbis. Sobre o jogo de hoje vou por o que vi em algumas notinhas.

  1. O primeiro jogo entre os rivais de hoje no ano foi há um mês. Público e renda: 13.834 para R$ 167 mil. Números de hoje, valendo pela semifinal: 4.429 para R$ 76 mil.
  2. A ganância da diretoria do América, que passou o preço dos ingressos dos visitantes de R$ 20 para R$ 80, esvaziou o jogo, e reduziu a renda do jogo a menos da metade. Burrice demais para um time que vai passar o resto do ano sem outra oportunidade dessa de fazer caixa.
  3. Rafael é muito bom mesmo debaixo dos paus. Mas não sei se falta confiança, rodagem, experiência ou o que para que ele adiante dois passinhos pra frente e passe a interceptar cruzamentos que passam em altura média dentro da pequena área. Além disso, eu, pessoalmente, acho irritante defesas plásticas sem necessidade. Minha percepção é de que ele quer valorizar a própria defesa. Até aí tudo bem. Mas à partir do momento em que uma bola para defesa firme e definitiva é espalmada, isso passa a atrapalhar o time.
  4. Estou me sentindo cada vez mais sozinho na turma do “ainda acredito no Mayke”. Acho que o Mano, que é quem mais importa desembarcou dela hoje. Perder uma bola na linha de fundo, dentro da própria área, porque o Renan Oliveira está mais ligado do que você, é caso pra ser resolvido com chibatadas, não com substituição. Mas como tinha um jogo de futebol acontecendo rolou a substituição mesmo.
  5. Ainda acredito no Mayke, acho que ele vai arrebentar em Portugal no segundo semestre. É o que tudo indica com a contratação do Lennon. E pela primeira vez estou achando que é o melhor para todos os envolvidos. Daqui há uns cinco anos, quem sabe ele possa retornar e ser aquele cara que ele prometeu ser e foi, mas foi por um breve período nos anos do bicampeonato.
  6. Barbosa, que deu a assistência do empate hoje, pelo contrário, é desinibido e agressivo. Vai com velocidade até o fundo e ajuda a dar volume ofensivo. Uma pena que o Alisson quando entrou foi para o lado direito e por lá ficou até a saída do Rafinha já aos 30 do segundo tempo. No fim do jogo, o Barbosa já não tinha mais perna para dar suporte e o Alisson ficou só para as jogadas pela ponta esquerda.
  7. Hoje foi um dia em que a proposta de jogo do time falhou. Não é trivial que contra o América o Cruzeiro sofra tanto e tenha tão poucas finalizações, mesmo que a ideia fosse essa. Não era. Na entrevista pré-jogo Mano disse que queria a posse para minimizar o desgaste. No primeiro tempo a posse estava presente, mas o time criou pouco e permitiu ao América as oportunidades mais cristalinas. No segundo tempo o Cruzeiro foi empurrado pra trás e cedeu um gol de bola parada, quando o gol do adversário já estava maduro. Teve fibra pra responder rapidamente e depois torceu pro jogo acabar.
  8. Thiago Neves que chegou sobre a minha desconfiança, vem crescendo. Ele aparece nos grandes jogos e bate muito bem na bola. Ainda falta acertar o posicionamento do time com um todo, mas principalmente do trio de meias. Hoje deu a impressão de que os meias eram desarmados muito facilmente. Da TV parece falta de vontade, malemolência e tal. Acho que é falta de um cara encostar ali, ou passar no lugar certo. Isso aconteceu contra o SP, e o time teve dificuldade em trocar muitos passes no campo de ataque. Tanto que os gols saíram de bolas bêbadas do Neves na área.
  9. Para falar de todo mundo, Rafael ficou, Mayke desapontou, Manoel zagueirou, Léo defendeu, Barbosa assitiu, Cabral (o melhor do jogo) regeu, Hudson desarmou, Henrique voltou, Rafinha cobriu, Sóbis passeou, Neves marcou, Arrasca sumiu, Alisson se isolou e Ábila esperou (demais).
  10. Henrique voltou, o que é muito bom. Que o Mano saiba administrar o time para o desgaste não estourar ninguém. Fisicamente, a diferença pró-América ficou nítida à partir dos 15 do segundo tempo. Vale poupar uns três ou quatro contra o São Paulo e mais uns dois contra o América na volta, entrando com pelo menos meio time inteiro na volta. Ao bater o São Paulo fora o Mano conquistou esse direito.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Gostou? Não? Comenta aí: