Canelada

Home | « Todos os posts do Cruzeiro

Cruzeiro 2017, avaliação de elenco: Parte 1/3

por
23/02/17

Iniciando os trabalhos nesse espaço, iremos apresentar as credenciais do Cruzeiro para 2017. Como iremos analisar o time taticamente e verificar a montagem de elenco, passando jogador por jogador, esse post será dividido em três capítulos. Segue a parte 1/3, impressões iniciais e defesa.

O Cruzeiro começou o ano jogando em um 4-2-3-1 bem peculiar. Não há qualquer mistério na linha defensiva, que, ao longo do ano, deve privilegiar, pelos lados, laterais de origem, mas de característica defensiva. Todas as entrevistas do treinador foram nesse sentido, de que há necessidade de bom acabamento de jogadas porque as idas à linha de fundo serão raras. A afirmação de um jogo que passe pela ofensividade dos laterais exigirá adequações no meio-campo. Partindo de uma ideia inicial e até histórica do Mano no Cruzeiro, defendendo, o time se postará com a primeira linha baixa.

No meio, no momento defensivo, vemos uma formação de uma linha de 4 jogadores, com os dois volantes centralizados. O time joga atualmente com um ponteiro de ofício, ponta mesmo, e um armador, deslocado para a ponta. Esses dois é que tem a função de recompor a linha de quatro cada um em uma ponta quando perde-se a bola. Além deles o time tem utilizado um ponta de lança, centralizado na linha de três no momento ofensivo, mas com funções defensivas mais limitadas. Essa linha de três ofensiva se desprende dos dois volantes, e tem movimentação bem solta, juntando-se ao centroavante, que deve primariamente abrir espaços. A função do ponta de lança ou segundo atacante na recomposição é, juntamente com o centroavante incomodar o zagueiro e os volantes na saída de bola, tentando cortar a linha de passe do adversário.

Goleiros:

Fábio, Lucão, Lucas França e Rafael

Três dá e sobra, né?  Essa quantidade até atrapalha o treinamento. Pondo-me no lugar do Mano, eu chamaria Fábio e Rafael para uma conversa. Na Europa é comum ter o goleiro da Liga e o goleiro das copas. O Fábio, pela rodagem e também pela antiguidade merece ser o goleiro da Liga. Joga Mineiro e Brasileiro. O Rafael jogaria Primeira Liga, Copa do Brasil e Sula. Penso nisso por dois motivos: O Fábio não vai estar aí pra sempre, o Rafael tem de pegar rodagem para vermos se ele é mesmo o substituto do Fábio. O Rafael ainda tem a seu favor o fato de ser mais pegador de pênaltis, o que é ótimo para as copas.

Para goleiro o Cruzeiro está bem servido. Não temos mais nenhum milagreiro, o avançar da idade tirou esse status do Fábio, o qual o Rafael ainda não adquiriu. Mas não há qualquer motivo para preocupação. Aliás, tem sido assim por mais de uma década. Não sou dos apaixonados pelo Bochecha, que cometem a heresia de falarem que o cara jogou mais que o Dida, mas a gente não estressa com goleiro desde o André Dinossauro e Maizena. Fábio, em forma, é um dos cinco melhores do Brasil na atualidade.

Zagueiros:

Dedé, Léo, Caicedo, Manoel e Murilo

Cinco zagueiros me parece adequado. Mas quando lembro que o Cruzeiro emprestou o Fabrício Bruno e o Grolli, cada um com mísero número de jogos e sem ao menos serem testados efetivamente, me pergunto se foi uma boa a manutenção do Léo que deve ganhar um salário compatível à sua importância para o clube. O fato de o Léo ter permanecido pode se dar por algum(ns) fatos intangíveis que a torcida ignora. O cara deve ser excelente de grupo, deve ser exemplo pros mais jovens e etc. Caso contrário, deveria ter ido junto com o Bruno Rodrigo e dar espaço aos mais jovens.

Para esse início de temporada, Manoel e mais um eram suficiente até a plena recuperação do Dedé. Aqui vai um parêntese: apostar no Dedé é obrigação. Não dá para quando o cara se recuperar por ele no banco. O cara ganha o teto salarial do clube e é zagueiro, saudável, nível AAA+ futebol mundial. Tem que ver se dá certo logo e pronto. Caso contrário a carreira de quem já foi “o mito” um dia estará encerrada.

A zaga do Cruzeiro tem uma certeza: Manoel é um zagueiraço.

De resto aí a avaliação individual é: Léo, bom zagueiro. Um cara nota 7,5. Um time médio tipo o Sport, ou grande com zaga ruim tipo o Inter poderia contratá-lo e construir uma zaga à partir dele. Ele tem ainda 3 ou 4 anos de bom futebol, mas está abaixo do Manoel  e do…

Dedé: Incógnita total. Dois anos sem jogar. Pode ser o terceiro ano (toc, toc, toc na madeira), pode voltar um sósia pereba dele. Ou pode voltar aquele cara pilar do time bicampeão brasileiro injustiçado na Seleção para o besta do Felipão chamar a besta do David Luiz.

O Caicedo tem de jogar. Lembro quando eu jogava Championship Manager 2001 (o único que joguei) tinha uns caras que pareciam bons. Aí você mandava o olheiro ir olhar e aparecia a ficha dele. Pois é, o Caicedo é o cara antes do olheiro ir. Não conhecemos um atributo do rapaz.

Murilo, coitado, só jogará em uma eventualidade. Foi mal Murilo, mas tô torcendo para você nem estrear.

Dois dos quatro primeiros formarão talvez a melhor zaga do Brasil, talvez uma zaga muito boa.

Laterais:

Ezequiel e Mayke (D), Bryan, Diogo Barbosa, Fabrício e Edimar

Pela direita deve acontecer a renhida briga pela titularidade. O Mayke só vencerá se se mostrar saudável e confiável (se a galera tiver um pouquinho de paciência, também ajuda, né?). Ezequiel é confiável e correto. O setor está bem servido, ainda mais imaginando que em caso de contusão, o Romero pode jogar ali. O feijão-com-arroz que o Mano ama em um lateral, está garantido.

Pela esquerda há a necessidade imediata de se dispensar um jogador e a bola da vez é o Edimar. Edimar jogaria em um time estável, mas ele não tem nada mesmo de especial. O Bryan, coitado, não vai jogar e nem ser dispensado/negociado.  É fato que os outros dois serão aproveitados, apesar de que o Barbosa ainda está em estágio probatório. Aí é questão de sorte. O cara chegou na hora certa, com o time organizado e encarando as babas de início de temporada. Bryan e Edimar foram atirados aos leões, assim como Pará, Breno Lopes e tantos outros que mal tiveram chances de mostrar o que sabem na lateral esquerda do Cruzeiro.

Pensado bem, ao sair o Egídio deve ter lançado uma praga. Porque depois dele, lá se vão 2 anos completos apenas e OITO laterais esquerdos contratados. Tem gringos (Samúdio e Mena), ex-américas (Gilson (tá, o Gilson foi antes, eu só queria enfatizar) e Bryan), incategorizáveis (Breno Lopes, Pará e Edimar) o Barbosa e o Fabrício. Tira o Gilson e dá oito.

E o Fabrício. Bom, o Fabrício… Quando o Cruzeiro trouxe o Fabrício, meu pai travou o diálogo abaixo comigo:

– Fernando, cê viu que o Cruzeiro trouxe aquele cara doido do Inter?

– Vi pai. Bom jogador…

– Cê tá maluco, cara? Aqui me diz uma coisa… A torcida do cruzeiro é mais chata ou menos chata que a do Inter?

– Sei lá pai, acho que mais chata.

– Muuuito mais chata. Agora pensa, meu filho. Se lá ele jogou a camisa no chão, aqui ele vai cagar na camisa. Esse cara vai tirar a camisa do Cruzeiro e cagar nela.

Desde então, na nossa turma de Mineirão, o Fabrício é conhecido como “cagão de camisa”. Ele nunca cagou mesmo na camisa, mas já demostrou alguns destemperos. Mas sinceramente? Acho que com o Gardenal  em dia, ele é bom jogador. Se o Abel tirou alguma coisa dele em 2015, o Mano também pode conseguir esse ano.

Avaliando o time, as partes mais vulneráveis do Cruzeiro são as duas laterais. Nem são ruins como já tivemos há uns anos (Libertadores com Jadílson, o injustiçado pelo malvado Adílson e Gérson Magrão na esquerda. Ou em 2011 que tava tão ruim, mas tão ruim que o Mansinho preferiu por 3 beques, sem alas!). Mas não têm nada de muuito bom, pelo menos ainda não. Ezequiel e Barbosa podem se firmar e nos dar um ano tranquilo. Mayke pode passar o ano livre de lesões. Fabrício pode controlar seus demônios. Mas se tudo der errado ao mesmo tempo, ou algumas dessas coisas, teremos problemas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

3 comentários

  1. Alexandre disse:

    Quando for comentar dos meias, lembre-se da semelhança entre Bryan e o Rafinha… as pernas curtas!!!

    [Reply]

    Fernandão Canela Reply:

    O problema deles é o tamanho dos ossos abaixo do joelho. Mas ambos são úteis ao elenco. Rafinha um pouco mais.

    [Reply]

  2. Cruzeiro 2017, avaliação de elenco: Parte final disse:

    […] http://canelada.com.br/cruzeiro/cruzeiro-2017-avaliacao-de-elenco-parte-13/ […]

Gostou? Não? Comenta aí: