Canelada

Home | « Todos os posts do Palmeiras

[Cap. 16/80] Palmeiras 3×0 Novorizontino – Sobrando!

por
8/04/17

Palmeiras vence o Novorizontino, faz 6×1 no placar agregado, e agora aguarda adversários para a semifinal do Paulistão.

Era o Novorizontino. Sim, o mesmo adversário que complicou no jogo da ida. O resultado, aliás, até que foi parecido. A diferença, tanto no placar quanto no rendimento em campo, veio do setor defensivo. Se no jogo em Novo Horizonte saímos atrás e deixamos a desejar na proteção à meta de Fernando Prass, desta vez praticamente não levamos sustos. Exceto no final, quando o placar já estava resolvido e o time continuou ofensivo, querendo mais gols.

Mas era o Novorizontino. Sim, time bem arrumado, que se classificou e deu trabalho, quando jogou em casa. Desta vez, Eduardo Baptista optou por Zé Roberto na esquerda e deixou o time todo ligado com a velocidade dos atacantes adversários. Soube atacar com inteligência, sem se expôr tanto. Eduardo está de parabéns pela evolução, pela visão nas mexidas e pela seriedade passada ao time. Postura excelente, mesmo com um 6×1 no placar agregado e com um jogo de Libertadores por vir.

Merece destaque também o fato de ele ter insistido na escalação do Guerra no meio, deixando Dudu na ponta. Nos últimos jogos, ele havia testado o Dudu centralizado, que correspondeu, embora não em sua melhor forma. Mais do que isso, quem jogou na ponta, nessas ocasiões, jogou bem. Keno e Róger Guedes, tiveram oportunidades e mostraram serviço. Seria mais “cômodo” o técnico manter esta formação, enquanto Guerra seguiria se recuperando das contusões, sem pressa pra voltar.

Porém, buscando o melhor para o time para o restante da temporada e ciente da importância de se ter variações táticas, Eduardo não se deu por satisfeito e entrou com Guerra centralizado. Deu mais do que certo. Muito para esse jogo, mas ainda mais para a sequência que teremos, em jogos de Libertadores. O entrosamento demonstrado entre o venezuelano e o colombiano Borja já começa a dar seus frutos.

Isso sem falar no Michel Bastos, que entrou bem e criou duas grandes jogadas, mesmo com pouco tempo em campo. Sem falar do Mina, que já dispensa comentários. Sem falar do Fabiano, que mais que um zagueiro que joga na lateral, tem demonstrado que pode ser importante, porque sabe cruzar. Sem falar de Keno e Róger Guedes, que sequer precisaram entrar. Até o Alecsandro entrou bem, mas esse prefiro não destacar, porque o adversário já estava entregue.

Parabéns, Palmeiras! Bela exibição e bela postura. Era isso que cobrávamos, principalmente depois do que vimos no clássico em Itaquera, quando o time parece ter entrado esperando a vitória cair do céu a qualquer momento. Agora começam os jogos que exigem mais. Sequência de Libertadores e jogos decisivos do Paulistão. Vamos pra cima!

Avanti, EB! Avanti, Palestra!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Gostou? Não? Comenta aí: