Canelada

Home | « Todos os posts do Portuguesa

Héber, os cariocas e a Lusa

por
2/09/12

Héber Roberto Lopes é um dos mais conhecidos e reconhecidos árbitros do futebol brasileiro na atualidade. Aos 40 anos, o professor de Educação Física nascido em Londrina integra o quadro de árbitros da FIFA e tem em seu currículo arbitragens em jogos de peso e em grandes decisões. É filiado à Federação Paranaense de Futebol e, como tal, está gabaritado para comandar jogos entre clubes paulistas e cariocas, ao passo que não tem como origem nenhum dos estados.

Com isso, Héber foi escalado para apitar o jogo entre Portuguesa e Vasco, pela segunda rodada do Brasileirão-12 no estádio do Canindé. O árbitro teve uma atuação polêmica, marcada por uma penalidade máxima claríssima sofrida pelo meia luso Michael nos últimos minutos de jogo. Isso sem contar as costumeiras inversões de falta. O juiz saiu do estádio luso sob protesto da torcida rubro-verde que, após o apito final, cobrava uma reclamação da diretoria lusitana junto à comissão de arbitragem da CBF.

Da parte da diretoria lusa veio apenas a omissão e o silêncio. O técnico Geninho reclamou em sua entrevista coletiva, mas de nada adiantou. Quando a Portuguesa recebeu outro carioca em seu estádio, quatorze rodadas depois, lá estava Héber Roberto Lopes escalado para comandar o confronto. Após uma partida amarrada pela arbitragem, com as rotineiras inversões de falta e o excesso de cartões, Diego Viana foi derrubado pelo goleiro Jefferson dentro da área nos últimos minutos de jogo e Héber nada assinalou.

Novamente a torcida lusitana cobrou um posicionamento oficial do clube por meio de sua diretoria, mas nada aconteceu. Pelos lados do Canindé, como já é costume, o silêncio e a omissão reinaram. Vale lembrar que o jogo aconteceu em um domingo. Na semana anterior Héber fora julgado pelo STJD e punido com 15 dias de suspensão. Porém, a suspensão apenas passaria a valer a partir da segunda-feira. Portanto, o árbitro pode comandar o Lusa-Botafogo.

Héber fora enquadrado no artigo 259 do CBJD, ou seja, “deixar de observar as regras da modalidade”. Em partida válida pela Série B do Brasileirão entre  América-RN e Ceará, o árbitro deixou de dar cartão a Valdemar, goleiro da equipe de Natal, em uma jogada violenta. Jogada esta que, de tão violenta, foi revista pela procuradoria do STJD para punir o árbitro. Porém, inexoravelmente, a punição não entrou em vigência tão logo a pena fora definida.

Eis que começa o segundo turno e o jogo da Portuguesa contra o Vasco, no Rio de Janeiro, se aproxima. Héber já havia cumprido sua suspensão e teve seu nome inscrito no sorteio. Não deu outra. O árbitro foi escalado para comandar, pela segunda vez no mesmo campeonato, o clássico luso. Foi o 10° jogo apitado por Héber na competição, o terceiro da Lusa (todos contra cariocas) e o segundo do Vasco (ambos contra a Rubro-Verde paulista).

O time do técnico Geninho embarcou para a cidade maravilhosa muito desfalcado. Cinco atletas da equipe titular não estavam à disposição do treinador. O lateral-esquerdo Marcelo Cordeiro e o meia Héverton estavam contundidos. O volante Ferdinando, o meia Moisés e o atacante Ananias estavam cumprindo suspensão automática. Sem um elenco qualificado em mãos e sem grande peças de reposição, Geninho teve de quebrar a cabeça para montar seu onze titular.

A Lusa foi a campo com Dida no gol. Valdomiro e Gustavo compuseram a dupla de zaga. Luis Ricardo foi escalado na lateral-direita e o zagueiro Rogério novamente improvisado na esquerda. No meio, Boquita e Léo Silva formaram o trio de volantes com Bruninho, jovem vindo das categorias de base. A armação teve de ficar por conta de Maylson, reforço pedido por Jorginho no começo do ano e que só voltou a ser relacionado por não ter encontrado um clube que o quisesse em definitivo ou por empréstimo. Na frente, Diego Viana e Bruno Mineiro.

Tudo bem que o Vasco não vinha em boa fase, mas a Rubro-Verde estava completamente remendada e tendo que se desdobrar para conquistar pontos em São Januário. Um empate já seria considerado um bom resultado. Como era esperado, a Lusa ficou sem qualquer criatividade no meio-campo, não tinha força na ala esquerda e contava com um ataque muito mais lento e muito menos letal. Mesmo assim a Portuguesa não fazia uma má partida, era uma equipe razoavelmente organizada taticamente e que levava um certo perigo a meta cruzmaltina.

O Vasco saiu na frente com um gol de Alecsandro, que cabeceou para o fundo das redes a partir da pequena área. Na origem do cruzamento, a bola chegou a desviar no marcador luso. A bola pode até ter enganado Dida, mas nada que o impedisse de fazer uma defesa até certo ponto tranquila. Falha do goleiro luso. Só que a Lusa respondeu bem. Bruno Mineiro, no lance seguinte, já mandava a bola na trave.

Eis que, em uma bola de ataque da Portuguesa dentro da grande área vascaína, o zagueiro Dedé despencou no chão com as mãos no rosto. Valdomiro havia dividido uma bola com ele no lance anterior. Héber marcou falta de ataque, esperou vários segundos até que Dedé se levantasse, conversou com Valdomiro e com outros jogadores da Lusa, até que, sem mais nem menos, puxou o cartão vermelho do bolso e expulsou Valdomiro. Repito: sem mais nem menos. Pode-se rever o lance quantas vezes forem necessárias pela TV, não há explicação.

A Lusa, com isso, desmoronou. Todos os planos de Geninho foram por água abaixo. O segundo gol sairia no começo da segunda etapa em mais uma falha de Dida, que não saiu de baixo da meta. Geninho fez as substituições que pode, tentou organizar a Lusa, fazê-la buscar o resultado mesmo na adversidade, mas não deu. O placar final marcou 2 a 0 para a equipe carioca, que não vencia havia 5 rodadas, e que já estava dando adeus a qualquer chance de título.

Após o segundo gol vascaíno, Héber Roberto Lopes agiu como agem os árbitros experientes. Sabedor de que a reação rubro-verde não viria, começou a dar faltinhas despretensiosas na intermediária. Foi, aos poucos, apaziguando a situação. Chegou a expulsar Pipico, que havia acabado de entrar no time do Vasco, já na reta final de jogo. Expulsão desnecessária, mas providencial. Para balancear os erros, compensar, passar a imagem de que errou para os dois lados e de que não havia má intenção. Para os bons entendedores, uma arbitragem profissional.

Na minha visão, nenhuma surpresa. Desde a quinta-feira eu tinha em mente que viajaria ao Rio de Janeiro na caravana da Leões da Fabulosa para ver a Lusa enfrentar o Vasco em São Januário no sábado. Na sexta, ao saber que Héber apitaria o jogo, vi torcedores que diziam também ir a cidade maravilhosa desistirem. Eu mesmo já me desmotivei, sabia que seria muito mais difícil e que o árbitro paranaense aprontaria. Todos fomos ao RJ com um pé atrás, comentando na viagem que teríamos de ficar de olho no apito.

Este post deveria ter tido como foco a viagem de mais de 14 horas e meia – ida e volta –  a São Januário. Houve muito o que se comentar dessa viagem. Porém, o foco, mais uma vez, foi a arbitragem. Isto prova duas coisas: a Portuguesa tem uma diretoria omissa, fraca e incompetente; a comissão de arbitragem da CBF não age com profissionalismo, seriedade e isenção. Como se pudéssemos esperar algo diferente de ambos. Leda ingenuidade.

Héber Roberto Lopes colocou no bolso 8 pontos da Portuguesa. Duas derrotas para o Vasco e um empate com o Botafogo. O que acontecerá? Nada. A diretoria rubro-verde novamente ficará em silêncio, esperando que a CBF escale o árbitro paranaense mais uma vez, no próximo confronto contra cariocas possível. Comissão técnica, jogadores e torcida é que ficam a ver seu trabalho e sua dedicação jogados no lixo e desprezados por desmandos e incompetências.

Valeu – e muito – a pena ter ido ao Rio de Janeiro. Afinal de contas, não se pode fazer essas viagens pensando apenas no resultado. Temos de ir simplesmente para conhecer, para se divertir e para apoiar o clube que amamos. É mais uma forma de devoção ao clube que se ama do que uma busca por 3 pontos. E outra, não se pode viajar em função de vitória quando se tem Héber Roberto Lopes em campo. A sorte do jogo não está nos pés dos atletas ou nas mãos dos goleiros, mas no apito do árbitro.

E você, torcedor lusitano? O que achou? Dê sua opinião! Comente abaixo!

Por Luiz Nascimento

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

20 comentários

  1. j alex atibaia disse:

    Luiz , ainda teve o penalti no Bruno.
    o que fica claro, como vc disse é que não temos diretoria, teóricamente temos muita força, mas ela está toda dividiva e sem confiança nos que estão no poder
    precisamos urgentemente de uma União Lusa, mas não com os que estão ai.

    [Reply]

    Luiz Nascimento Reply:

    @j alex atibaia, Verdade, Alex! Ainda teve o pênalti no Bruno Mineiro! Até esqueci de colocar isso no texto. Valeu por lembrar! Mais um absurdo na conta desse juiz. Quanto a união, concordo com você. Se não temos força alguma nos bastidores, precisamos nos mexer para, ao menos, sermos respeitados. Hoje, o descaso é total com a Portuguesa.

    Abraços e obrigado por acompanhar o blog!

    [Reply]

  2. Carlos Machado disse:

    Caro Luiz, tudo começou com um empurrão de Alecsandro no zagueiro Valdomiro, deslocando nosso defensor, ou seja, o atacante vascaíno, literalmente subiu nas costas do atleta luso. Falta claríssima, a qual sequer foi citada pelo tendencioso narrador carioca e pelo seu comentarista, Edinho, aquele mesmo que nos dirigiu em duas oportunidades e nos abandono à própria sorte. UM NOJO !

    [Reply]

    Luiz Nascimento Reply:

    @Carlos Machado, Tem razão, Carlos. Até me espantei ao ver os melhores momentos depois e ouvir o Edinho falando que não achou justo o vermelho pra Lusa. Vindo dele, esperaria tudo contra a Portuguesa. Mais um de tantos que nos virou as costas, cuspiu no prato que comeu e “andou” pro clube. Quanto ao empurrão, também notei ao rever o lance. Se contarmos os lances veremos o quão ridícula foi a arbitragem desse sujeito. Nojo é o termo que melhor define mesmo…

    Abraços e obrigado por acompanhar o blog!

    [Reply]

  3. irineu disse:

    Os “diretores” da Lusa nada fazem porque sabem que são insignificantes e que ninguém dá “bola” pra eles, pois são chulos e desprovidos de inteligência!!!

    [Reply]

    Luiz Nascimento Reply:

    @irineu, Homens omissos, incompetentes, incapazes, desatualizados e completamente fora da realidade atual do futebol. Se já não tinhamos força nos bastidores, hoje então a situação é deplorável. Ninguém mais respeita ou dá bola pra Portuguesa, pois sabem que podem fazer o que bem entenderem que nada acontecerá. Torcemos para um clube sem comando, movido apenas pelos interesses e pelas vaidades de um ou outro.

    Infelizmente.

    Abraços e obrigado por acompanhar o blog!

    [Reply]

  4. Carlos Júlio disse:

    Luiz e amigos do blog. Essa “diretoria” só entende de jogo de sueca. Isso eles fazem bem. Agora defender os interesses da Portuguesa, isso é muiiiiitttttooooo difícil. Tem que pensar e isso para eles é complicado. Coitado do Geninho e dos jogadores. Eles fazem o que podem e a “diretoria” faz o que não pode. INCOMPETÊNCIA TOTAL!!!!!!!

    [Reply]

    Luiz Nascimento Reply:

    @Carlos Júlio, Concordo, Carlos. Vemos o Geninho tirar leite de pedra, fazer milagre com o elenco que tem em mãos. Ao mesmo tempo, vemos o elenco se desdobrando e jogando na base de muita vontade pra lutar contra o rebaixamento. E enquanto isso, dentro do próprio clube, temos pessoas que jogam contra: nossa diretoria. Nesse caso, nos prejudicam pela omissão. E quando se fazem ouvir é apenas pra falar besteira e envergonhar nossa torcida. É lamentável.

    Abraços e obrigado por acompanhar o blog!

    [Reply]

  5. Beto LUSA disse:

    LUIZ…PENSO COMO VC..NO PRIMEIRO GOL HOUVE FALHA DO DIDA QUE NAO SAIU E TINHA QUE SAIR MAS MESMO ASSIM TAMBEM HOUVE O BRACO ESQUERDO DO ALECSSANDRO EMPURRANDO O VALDOMIRO E TENHO CERTEZA QUE SE FOSSE DO LADO CONTRARIO O HEBER DARIA FALTA. ADEMAIS ACHO QUE SE O TIME TIVESSE FICADO MAIS CONCENTRANDO NAO PERDERIAMOS MESMO COM ESSE JUIZ..O VASCO TAMBEM NAO FEZ NADA DE ESPETACULAR, ACHO QUE A LUSA E’ QUEM NAO MARCOU MUITO BEM, DEU MUITOS ESPACOS NO MEIO, CONTOU COM MAYLSON QUE E’ RIDICULO E DIEGO VIANA QUE FOI UM A MENOS..ENFIM PERDEMOS PARA NOS MESMOS…QUE DEUS NOS AJUDE NOS PROXIMOS JOGOS A GANHARMOS LOGO OS PONTOS NECESSARIOS PARA FUGIRMOS DA DEGOLA PORQUE SE CONTARMOS COM NOSSA OMISSA E PATETICA DIRETORIA ESTAREMOS NA SERIE B…..

    [Reply]

    Luiz Nascimento Reply:

    @Beto LUSA, Concordo, Beto! Nosso time também deixou muito a desejar, mas acredito que os vários desfalques unidos a arbitragem complicaram demais a nossa vida. Mesmo assim poderiamos ter jogado melhor, evitado algumas coisas, mas fácil não estava. Uma pena, porque o Vasco não jogou absolutamente nada e vinha de uma fase terrível sem vitórias. Dida falhou nos dois gols, porém, ainda tem crédito. Falhou, aliás, naquilo que sempre foi um dos seus únicos defeitos: saída do gol.

    Abraços e obrigado por acompanhar o blog!

    [Reply]

  6. Carlos Coelho disse:

    Não adianta criticar esse ou aquele , temos que mostrar indignação no momento da partida .Waldomiro é o único que peita os homens de preto .
    Parabéns pela matéria .

    [Reply]

    Luiz Nascimento Reply:

    @Carlos Coelho, Você levantou um ponto que há tempos venho percebido, Carlos. O Valdomiro vem se mostrando um grande capitão, homem de presença em campo, que se faz ouvir pela arbitragem e que chama a responsabilidade para si. Estou gostando demais do desempenho dele na Lusa.

    Obrigado!

    Abraços e obrigado por acompanhar o blog!

    [Reply]

  7. AUGUSTO SILVA disse:

    Segundo turno do Brasileirão, não há mais como recuperar pontos perdidos…Os dirigentes rubro-verdes tem obrigação de acompanhar todos os sorteios da comissão de arbitragem e protestar quando forem escalados árbitros que apresentam erros graves. Neste caso devem fazer o dvd completo dos jogos onde este desonesto árbitro apitou e encaminhar para a comissão de arbitragem.

    [Reply]

    Luiz Nascimento Reply:

    @AUGUSTO SILVA, Perfeito, Augusto! É o que nossos dirigentes deveriam estar fazendo desde o início da competição, que foi onde começamos a ser prejudicados pela arbitragem. Porém, essas coisas não acontecem pelos lados do Canindé. Não há movimentação para se protestar, reivindicar ou se fazer ouvir. É complicado…

    Abraços e obrigado por acompanhar o blog!

    [Reply]

  8. Wilson disse:

    Perfeito!

    Deveríamos usar o seu texto como “manifesto rubro-verde”!
    Não vou discutir lances polêmicos, muito menos a opinião DESQUALIFICADA dos comentaristas do sportv. Mas a síntese é essa:
    diretoria omissa + juiz ladrão = desmotivação da torcida e do elenco.
    Essa é a hora da união de todos e mostrar a garra!

    [Reply]

    Luiz Nascimento Reply:

    @Wilson, Concordo com você, Wilson! A torcida precisa se unir de verdade em torno do time, afinal de contas tanto a comissão técnica quanto os jogadores estão lutando e nossa luta não é apenas contra o club e adversário, mas contra a arbitragem também. E isso porque ainda estamos na metade do campeonato.

    Abraços e obrigado por acompanhar o blog!

    [Reply]

  9. Josuel Mendes disse:

    Perfeito!
    Gostei muito de todos os comentários Luiz Nascimento.Este Arbitro Héber Roberto Lopes, é Mesmo Tendencioso. Ele Vem Prejudicando Muito a Portuguesa. Deixou de Marcar Um Penalty a Nosso Favor, expulsou sem Razão Real o Valdomiro e Ainda achei que o jogador Tenório que fez o segundo gol, estava em posição duvidosa. a Diretoria da Portuguesa Tem Que Entrar Com uma Representação Contra Este Árbitro Ladrão.

    Mas, Foi Muito Emocionante Ver a Presença Da Torcida da Lusa em São Januário ! Apesar de Estar em Pouco Número Compareceu, Em Um Horário Ruim Sábado 21:00horas, mas os torcedores Viajaram e Deram apoio aos Nossos Jogadores. Parabéns a Torcida da Portuguesa ! AVANTE PORTUGUESA CONFIAMOS NA JUVENTUDE DA LUSA!!!!!!!

    [Reply]

    Luiz Nascimento Reply:

    @Josuel Mendes, Concordo inteiramente, Josuel! Muito obrigado pelas palavras e por acompanhar o blog!

    Grande abraço!

    [Reply]

  10. Fernando Sendas disse:

    Excelente texto!

    Já que não nos ouvem, e não dão espaço à Lusa pelo menos da forma que pudermos vamos alertando sobre esse inescrupuloso Héber Roberto Lopes.

    Safado, corrupto, sem vergonha e que um dia, espero, morrerá engasgado com o apito! FDP!

    [Reply]

    Luiz Nascimento Reply:

    @Fernando Sendas, Obrigado, Fernando! Você tem razão. Praticamente ignoraram essa arbitragem catastrófica e absurda do Héber. Se o prejudicado fosse o adversário a história seria outra…

    Abraços e obrigado por acompanhar o blog!

    [Reply]

Gostou? Não? Comenta aí: