Canelada

Home | « Todos os posts do Portuguesa

Nem o milagre substitui a qualidade

por
25/08/13

Diego Viana, Flecha Arraya, Lucero, Romão, Neílson, Bruno Moraes e Gilberto. Um presente austríaco de um treinador amigo. Uma joia garimpada no forte futebol equatoriano. Um craque mal compreendido em terras argentinas. Uma estrela que vinha despontando dos campos de Capivari para o mundo. Uma máquina de fazer gols que constava entre os empacotados pra viagem de Londrina. Uma troca de favores com um ex-jogador lusitano. E uma compensação de uma dívida antiga com um parceiro colorado. Tão planejadas, certeiras e ousadas foram as contratações que colhemos em campo – ou deixamos de colher – os frutos de tal trabalho bem realizado.

Não culpo o jogador em si. A culpa não é do cara que viu na Portuguesa uma oportunidade de se projetar em uma realidade que dificilmente vivenciaria. A responsabilidade não é daquele que, na hora de receber os salários, vê um mês durar 60 dias. Tão difícil quanto mostrar uma qualidade que não tem deve ser encarar, no dia a dia e de perto, um clube de tradição que é tratado como o time do boteco do Mané. Gestão? Planejamento? Organização? Profissionalismo? Respeito? São palavras que inexistem pelos lados do Canindé, principalmente quando o assunto é bola no pé. A base está tão falida quanto os caixas do clube e, assim, não há para onde correr.

Resisti citar o nome do maior técnico da Portuguesa em todos os tempos no mesmo texto em que abordo os amadores que comandam o clube hoje, mas a frase dita por ele há pelo menos quatro décadas faz muito sentido atualmente: “sem ovos não se faz omelete”. Guto Ferreira pode se desdobrar em quantos quiser, pode tirar leite de pedra, montar o esquema tático mais elaborado do mundo, conseguir do time a maior disciplina possível, que ainda assim esbarrará naquela que vem sendo confundida com azar no time rubro-verde: a falta de qualidade. Culpa de quem? De quem contrata. Ou deveria contratar. Com qualidade, diga-se.

A Rubro-Verde perdeu para o Atlético-MG por 2 a 1 no estádio do Coelhão mineiro sem apresentar um péssimo futebol. Não foi um desastre na atuação, mas sim no resultado. Os problemas se repetem e o mesmo medo de quando Guto desembarcou no Canindé ainda persiste: será que haverá tempo para corrigir todos os problemas do elenco e se safar do rebaixamento? Até porque nem todos os problemas podem ser resolvidos apenas pelo treinador, mas apenas pela diretoria. Nem só de motivação e organização tática (sobre)vive um time na elite, mas de qualidade técnica.

A Lusa não perdeu nos últimos minutos por azar. Perdeu por ter desperdiçado tantos gols feitos na partida. Principalmente na primeira etapa – mas também na segunda. Gilberto, Diogo, Moisés e Bérgson poderiam ter decidido. Falharam. Erraram. E feio. Surpreendente? Não. Previsível. E creio que não é preciso repetir que time que luta para não cair joga por uma bola, uma falha do adversário, um lance. Não se pode ter de chutar 15 vezes a gol para marcar um. O que fazer se olhar para o banco de reservas apenas aumenta o desespero? Do que precisamos? De um novo Bruno Mineiro, de gente com qualidade. E, infelizmente, parece que não virá.

O meio-campo poderia ser mais rápido, criativo e perder menos passes? Sim, mas não é. E o que fazer? Difícil quando se tem Jean Mota, Corrêa e Héverton como opções de elenco. Agora há Carlos Alberto, mas não o Torres. Viver de Moisés pode ser melhor do que viver de outros jogadores, mas está longe de ser o ideal. E a zaga? Valdomiro e Moisés Moura? Vai me dizer que desde a Série A2 não sabemos que com essa zaga não dá? Recua-se os volantes, prende-se os laterais, mas não adianta. Cruzou, entrou, já era. Luis Ricardo fica amarrado e Rogério… Enfim, espero que Magal realmente estivesse sem condições de jogo. Porque Rogério compromete tanto quanto Corrêa, Jean Mota e afins. Não dá.

Desta vez fui obrigado a fazer o que sei que é uma redundância e que já disse que não faria de novo: criticar os jogadores. As críticas são as mesmas desde o início do campeonato. Por quê? Porque qualidade não se ensina. Ou se tem, ou não se tem. E não temos. Haja milagre para tanta deficiência técnica. E Guto Ferreira, apesar de ainda poder sanar alguns problemas de ordem tática, física e de qualidade na troca de passes, não é milagreiro. É treinador de futebol. O medo é que a previsão que já fiz aqui anteriormente se concretize: termos de ir com isso aí, com o que temos, até o fim.

Se não for na base da superação, da motivação e da entrega, não vai ser na base do futebol bem jogado. Temos, no máximo, onze jogadores que, atuando no limite, formam um time competitivo. E sabemos disso há tempos. E a diretoria não é cega. Precisamos de reforços para ontem. Porém, se lembrarmos o tempo que demoraram para trazer um treinador de verdade, perceberemos que reforços não chegarão até os atuais diretores puxarem o carro do Canindé. Repito o de sempre: não há qualidade e não há preparo físico. O segundo problema Guto pode resolver. Já o primeiro… Triste realidade.

E você, torcedor lusitano? O que achou de mais esta derrota? Dê sua opinião! Comente abaixo!

Por Luiz Nascimento

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

7 comentários

  1. Alberto Dos Santos Lazaro Jr. disse:

    Concordo em parte, pois temos o artilheiro do Brasileiro o Willian the Ponte Preta que é tão ruim ou pior que o Gilberto e o Bruno Morães, agora um jogador quando não sabe bater no gol e joga como volante avançado tem que tocar para os companheiros e treinar feito louco o chute nos treinos até melhorar, o Moisés esta no Canindé a tempos e ninguém faz ele se aprimorar nisto? brincadeira né, hoje ninguém tem tanta qualidade, mesmo um Luiz Fabianos é aquilo bem tipo Gilberto e o Bruno, não vamos falar de mais uns quatro que nem sei porque vieram, e ai te dou toda razão, mais falta mais união no time, tem quem queira aparecer e mostrar que é bom só para sair the Lusa e ir para um time de maior projeção atual, enfim futebol é coletivo e esta faltando isto, epor isto se perde tantos gols, se o Moisés toca aquela bola para o Diogo era caixa com certeza, ou não!

    [Reply]

  2. Manuel Poio disse:

    urgentemente, precisamos de um lateral esquerdo e um goleiro bons, e mais dois Diogos pela luta incansável em campo.

    [Reply]

  3. Marcos Tavares disse:

    Sem lateral esquerdo não dá. O último gol do Atlético começou de um cruzamento no ataque feito de forma bizarra pelo zagueiro improvisado. Desculpe,já era. Tudo acabou quando o coronel pimenta foi efetivado como treinador. Morremos aí. Podem revirar oceanos, que jà é tarde.

    [Reply]

  4. Artur Vieira disse:

    Não temos goleiro, nem zagueiro, nem LE, nem meio de campo e nem atacantes….ou seja não temos porra nenhuma.

    [Reply]

  5. Joao Alexandre Alves de Freitas disse:

    os 7 listados somados não dá um bom centro-avante., ainda sou mais o Michell, the casa, mais barato e tem potencial para crescer.
    perdemos todo o 1o. semestre com Chamusca e Pimenta e realmente os gols no fim demonstram falta de preparo físico.
    pior é que não sabem fazer contas, cada 5 bagulhos que não dão em nada, custam o mesmo de um bom jogador…. só para constar , o Grêmio acabou de emprestar o Marco Antonio para o Atl-Pr.

    [Reply]

  6. rodrigo disse:

    Luiz, como eu queria que a Lusa tivesse perdido do Fluminense. Ali a diretoria teria entrado em desespero pois ficaríamos no Z4 durante toda a parada da Copa das Confederações. Mas Guto Ferreira , que ja tinha tudo acertado na ocasião, teria chegado com 50 dias de antecedência, os reforços idem, o mercado estaria mais abundante de jogadores.
    Eu tinha certeza que isso iria acontecer, mas mesmo assim jamais torci para uma derrota. Ah, como ela teria sido bem vinda.

    [Reply]

  7. Cássia Cordeiro disse:

    Um time que já começa o campeonato como forte candidato ao rebaixamento…que que tem uma cat de base onde os melhores jogadores são levados para outros clubes, e portanto, so ficam com os refugos…. que contrata jogadores por fita k7, CD ou DVD, mas, menos por por critérios técnicos…que tem um Presidente que resolve fazer experiencia com uma cara que nunca foi treinador e entrega a prep fisica ( hoje tão valorizada ) a um auxiliar de prep….so poderia dar no que esta dando. Precisamos dos mesmos Santos do ano passado. Santo treinador já temos, falta um Santo artilheiro e um santo goleiro ( que pelo menos tenha o respeito dos adversários ). Espero que a torcida não caia na besteira de xingar o Guto como xingaram o Geninho.Eles são treinadores……Santo é outra coisa……Lusa sempre!

    [Reply]

Gostou? Não? Comenta aí: