Canelada

Home | « Todos os posts do São Paulo

Convocação de Kaká também serve para quebrar um paradigma infeliz na Seleção

por
3/10/14

Por Ricardo Flaitt (Alemão)

Nada mais justo do que a convocação de Kaká para a Seleção Brasileira. Não pelo jogador que foi, mas pelo jogador que vem atuando com maestria pelo São Paulo Futebol Clube.

Quando todos pensavam que Kaká retornaria ao Tricolor apenas para manter o ritmo até o início da temporada no campeonato americano, o meia quebrou todas as projeções, com belas atuações. Provou, em campo, que não está ultrapassado para o futebol, nem acomodado depois de vencer tudo.

Não é demasiado afirmar que a constituição do quarteto tricolor, assim como a evolução da equipe do Morumbi, deve-se muito a Kaká. Com sua disposição, comprometimento, profissionalismo e, sobretudo, bola no pé, fez com que até o sonolento Ganso participasse mais das partidas. O efeito Kaká, no São Paulo, é inegável.

Impressiona quando assistimos um jogador já consagrado com o título de melhor jogador do mundo e com milhões em sua conta bancária, ocupando, marcando, compondo e articulando jogadas em todos os setores do campo.

A crítica que se faz, devido “à sua idade avançada” é mal alicerçada e até preconceituosa. Revela, de certa maneira, uma falta de critério e de parâmetros para o futebol brasileiro.

Por alguns momentos parece que se institucionalizou como solução para o bom futebol do Brasil colocar somente garotos novos, com menos de 25 anos (nem sempre craques do porte de um Kaká, dentre outros). Pensamento representa uma argumentação sem nexo, pois o que mais se precisa na Seleção Brasileira é de jogadores que saibam jogar bola.

Dentre outros casos, cito um para romper com esse pensamento que associa o bom futebol com a cronologia: o Milan, campeão do mundo em 2007, formado por muitos jogadores veteraníssimos, mas que sabiam como poucos a arte de jogar futebol.

A equipe italiana de 2007, que venceu o Boca Juniors na final do mundial por 4 a 2, jogando muita bola, era formada por Dida; Maldini, Nesta, Kaladze, Bonera; Gattuso (Emerson), Pirlo, Ambrosini; Kaká, Seedorf (Brocchi); Inzaghi (Cafu) e tendo como técnico Carlo Acelotti.

A convocação de Kaká, além de justa, que servia também para expor à luz um pensamento obscuro, que se arraigou no imaginário coletivo dos brasileiros e da crônica esportiva; mas que não tem nenhum fundamento, de que jogadores bons de bola, mas de idade avançadas, não podem integrar a Seleção. Isso é uma imbecilidade que precisa ser repensada, até combatida.

Ponto para Dunga, gol do Brasil… Alemanha 7 a 2.

RICARDO FLAITT (Alemão) é estudante incompleto de Filosofia (Unesp), cursa o último ano de História e, sobretudo, é um cronista-torcedor apaixonado pelo São Paulo | E-mail: flaitt.ricardo@gmail.com | Facebook/rflaitt | twitter.com/flaittt

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Gostou? Não? Comenta aí: