Canelada

Home | « Todos os posts do Sport

Com ou sem Leandro Pereira, precisamos de um nove

por
26/01/17

Ontem, o Sport estreou na temporada 2017 com vitória, mas a lesão de Leandro Banana quase comprometeu o resultado.

O adversário da rodada inicial da Copa do Nordeste era o Sampaio Correia, um time de terceira divisão, e nós jogávamos em casa. Portanto, nada mais natural do que ir pra cima e tentar atropelar, certo? Sim, foi exatamente isso que aconteceu! Com apenas dois minutos de jogo, Ronaldo Alves marcou de cabeça, após cobrança de falta. Os estreantes Marquinhos e Leandro Pereira tiveram boa mobilidade no ataque e facilitaram a vida dos armadores rubro-negros. Até mesmo Rithely, que andava meio sumidão por conta da sobrecarga na marcação, conseguiu aparecer perigosamente na área dos maranhenses.

O jogo começou a mudar aos 37 minutos, quando Leandro Pereira sentiu dores na região lombar e foi substituído. A turma da corneta não perdoou o centroavante, que sentiu a mesma lesão na Taça Ariano Suassuna. As especulações sobre as condições físicas dele correram soltas pelas redes sociais.

Leandro

Será que o poder da corneta cura nosso novo centroavante? Fonte: Reprodução Twitter

Daí em diante, o Sampaio cresceu na partida e ameaçou a nossa meta, chegando até a meter uma bola na trave. Mas não foi a lesão de Leandro Banana que fez o time cair de rendimento. Na verdade, uma má decisão de Daniel Paulista tirou as coisas da ordem. Receoso de colocar um jogador muito jovem no comando de ataque, Daniel resolveu colocar Lenis em campo e deslocar Rogério pro meio da área.

Leandro

Será esse o motivo da lesão do Banana? Fonte: Arial Black

O que se viu então foi um bando de jogadores que pareciam nunca ter jogado juntos na vida. Daniel demorou muito pra corrigir seu erro. Somente aos 30 minutos do segundo tempo, ele colocou Wallace no lugar de Rogério. As coisas voltaram aos eixos e até Lenis (pasmem!) se mostrou criativo e perigoso.

Falso Nove

Isso mostrou o quanto é importante ter um jogador de referência no esquema tático do Sport. Com o 9 em campo, o time conseguiu até esquecer que Diego Souza tava dando show com a camisa da CBF. Havia rotatividade nas pontas, os laterais e os volantes apareciam como opção de jogo e o placar só ficou magro por erros de finalização que podem ser facilmente corrigidos nos treinos. Já com tal do “falso nove”, Rogério não sabia mais o que fazia em campo, Marquinhos e Lenis só tocavam a bola pra trás ou pros lados e os volantes recuaram perigosamente, atraindo o Sampaio pro nosso campo de defesa.

O recado ao nosso (ainda inexperiente) treinador foi dado. Precisamos de um centroavante nato e nossa base tem qualidade pra suprir essa carência do atual elenco.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Gostou? Não? Comenta aí: