Canelada

Home | « Todos os posts do Sport

O Filho Feio

por
12/06/16

Perdemos mais uma, já é a quarta derrota em sete jogos na Série A. Dessa vez o carrasco foi um tradicional freguês, o Coritiba.

Quando alguém me pergunta o que aconteceu com o Sport do ano passado pra cá, eu fico extremamente constrangido. Começo a levantar alguns possíveis motivos pro péssimo futebol que jogamos hoje, mas logo desisto. De tantos motivos acumulados, cheguei à conclusão de que a má fase do Sport é um filho feio, ela não tem um pai, a crise chegou com tantos supostos genitores que ninguém quer assumir.

Tudo começou com a saída de Dudu, que abandonou o lar que o criou. Naquela época, o filho feio ainda estava na barriga da mãe. Todos acreditavam que ele seria o orgulho da família rubro-negra. Então chegou Falcão, o padrasto mandão, um rei que não poderia ser contrariado. Como uma mulher que sofre violência doméstica, a diretoria se calou e cumpriu todas as ordens do novo amante.

Era namoro novo e a relação bombou nas redes sociais. Nós, amigos da família, ficamos felizes por ver o filho feio sorrindo ao lado daquele chapéu panamá pintoso. Tudo eram flores, como aquelas estampadas nas camisas do chefe da casa, mas ninguém é tão feliz como aparece nas fotos do facebook. Aquele menino feio estava crescendo e não tinha photoshop que desse jeito naquela cara medonha.

Enquanto ninguém falava do filho feio, a situação era controlável, mas o padrasto da vez ultrapassou todos os limites e disse que não era um problema ser feio, que a família toda tinha de se contentar com aquilo mesmo e que pra ele estava tudo muito bem. Foi a gota d’água! A mulher abusada parou de mentir pra família e assumiu que aquele amante parecia perfeito, mas não valia nada. Antes tarde do que nunca, ela o mandou embora, apesar de ainda lhe pagar uma pensão.

O problema dessa pobre mulher é que ela ainda não se emancipou do patriarcado e não vive sem uma figura masculina no comando. É o que a sociedade espera dela! Assim, chegou à sua casa esse coroa charmoso chamado Oswaldo, um cara boa praça, sorridente, com fama de bom moço e muita experiência de vida pra fazer seu filho feio ficar um pouco mais apresentável.

Oswaldo está tentando mudar a cara do pirraia. Deu até uma penteada nos cabelos do menino e corrigiu a postura arqueada dele, mas ele não é nenhum Pitanguy e, mesmo que fosse, cirurgia plástica custa dinheiro. Esse filho feio ainda precisa de umas cinco ou seis intervenções. A mãe, sempre amorosa, diz que vai levar o filho pro exterior, onde as coisas são mais baratas e lhe dar um banho de loja. Só espero que ela não compre mais daqueles perfumes xexéus do Paraguai.

Feio e fedorento resume bem o que tem sido o futebol do Sport esse ano. Foi assim no pernambuquinho, na Lampions e continua sendo no Brasileirão. Temos um time manco, desequilibrado e tecnicamente limitado. As poucas exceções não conseguem carregar nas costas os outros jogadores e os maus resultados se repetem, apesar dos esforços do treinador.

Quem é o pai da criança não importa, nem me importa se esse filho feio vai ser tão bonito quanto seus irmãos mais velhos. Ele não precisa ser o próximo galã da novela das nove, mas se deixar de ser o Sloth da Série A já estará de bom tamanho.

Filho Feio não tem pai

Qualquer semelhança com Matheus Ferraz é mera coincidência

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

1 comentário

  1. José Henrique Mota disse:

    Esse filho feio não tem pai que queira adotar. O destino pode ser insólito e cruel para um clube que vinha 3 anos em uma crescente constante, apenas por teimosia e um quê de amadorismo.

    [Reply]

Gostou? Não? Comenta aí: